Depois de cinco dias super corridos cobrindo a temporada Verão 2013/2014, o São Paulo Fashion Week chegou ao fim ontem (22) após o desfile do Lino Villaventura. Pude acompanhar todos os desfiles desse dia de pertinho, a cobertura ficou bem incrível e ao invés de escolher apenas alguns para postar, decidi falar sobre as quatro marcas do dia em ordem cronológica, então preparem-se para um post imenso e lindo!
O desfile da Uma por Raquel Davidovicz foi o que teve mais peças usáveis, com linhas minimalistas e muitas estampas em tecidos leves, próprios para o nosso verão. Com inspiração em uma instalação artística de 1968 da artista plástica, Lygia Clark, a passarela teve como start uma réplica da obra “A casa é o Corpo” – estrutura em forma de gota – uma bolsa plástica transparente na qual a primeira modelo saiu e conquistou a passarela. 
A maioria das peças foi feita em alfaiataria leve e esportiva, silhuetas alongadas e tecidos inovadores como a sarja dublada com tule e neoprene cortado a laser. Também pode-se ver muitas estampas digitais baseadas na obra “Bichos” da mesma artista. Apesar de não encher os olhos como vestidos glamourosos, a coleção é muito forte e fiel à identidade da marca.
Já o desfile da Têca encantou os amantes por música, afinal, a cantora Roberta Sá – irmã de Helô Rocha – fez uma performance ao vivo acompanhada por teclado, lindo de se ver e ouvir! A coleção tem inspiração em porcelanas antigas e estampas orientais confeccionado pelo trabalho artesanal típico do Rio Grande do Norte, terra natal da estilista. 
Os looks têm predominância do azul, branco, preto, off-white e muita transparência em vestidos longos, shorts, paletós e jaquetas. Os acessórios são um show a parte – bolsas fofas em trama de cestos de vime, muitos arabescos e sandálias plataforma. A coleção chamou atenção do começo ao fim e deixou todo mundo com vontade de sair do desfile e correr direto para as araras!

Um dos shows glamourosos da noite foi de R. Rosner no qual a surpresa foi logo que entramos na sala de desfile: um lustre enorme de cristais Preciosa estava pendurado no meio da passarela, com um quadrado de tapete vermelho embaixo. As luzes se apagam e holofotes vermelhos se acendem junto ao lustre: o show começa à meia luz com uma música calma e a primeira modelo entra em cena. 
O primeiro bloco é composto por cores claras, muitos babados e plumas em vestidos angelicais. A trilha sonora logo muda para uma música que lembra “vilãs” e modelos com cara fechada e muita atitude cruzam a passarela com longos em preto e vermelho. Essas são as princesas do imaginário de R. Rosner, ora dignas de mocinhas dos filmes da Disney, ora melancólicas e malvadas – para quem gosta de muito drama, este foi o melhor desfile!
Por fim, o desfile que fecha esta temporada Verão 2013/2014 de Lino Villaventura trouxe no release um texto do estilista no qual ele confessa que a inspiração não foi nada menos que um acervo de imagens guardadas na memória de uma vida, tem pitadas da Amazônia, Pará, Nordeste, Ásia e culturas milenares traduzidas em vestidos belíssimos. As cores de pedras preciosas em contraste com o preto, muitos bordados feitos com cristais tchecos e tecidos à base de seda embalaram uma coleção muito bem executada.
Os modelos (sim, a marca traz looks masculinos também) usaram máscaras e adornos de metal em tranças compridas – um visual um pouco agoniante, mas bonito de se ver. Como se os modelos carregassem as roupas e somente isso. Com um desfile glorioso, Lino Villaventura foi aplaudido de pé e com gritos de sua audiência, “missão cumprida”!
Depois de muitos dias e 26 desfiles, o 35º São Paulo Fashion Week termina, mas a cobertura aqui no FF ainda vai rolar porque tenho dicas de famosos, muitas fotos de looks de street style e meu looks do dia que vocês estão pedindo! Acompanhem tudo hein!
Qual foi o desfile que mais encantou no último dia de SPFW?
Fotos: Fashion Frisson
Gostou do post? Compartilhe:
Facebook