Depois das semanas de moda brasileira, notamos muitas semelhanças no padrão como as referências de Balenciaga e tendências bem marcadas para o verão. Porém, teve uma coisa em que me chamou muito mais atenção que transparência, rounded shoulders e looks todos em branco: a neutralidade.
 
Já havia reparado que a beleza dos desfiles estava pura, com cabelos muito lisos, peles leves e make muito natural: as modelos não tinham expressão, tampouco transparecia a sexualidade.

 

Aliado a esse tipo de beleza, os desfiles ainda contaram com a presença de tops andróginos como o já famoso sérvio de 19 anos, Andrej Pejic que se sente à vontade para se vestir tanto como homem quanto mulher e a transex Lea T.

Parece que a moda tem caminhado para a neutralidade, não há mais shapes puramente femininos ou masculinos, os homens (rotulados como metrossexuais!) já fazem tratamentos de beleza e preocupam-se muito com o vestuário. Até arriscam na maquiagem para corrigir pequenas imperfeições, apostam na depilação e cuidam dos cabelos.

 

Já as mulheres apostam em looks tomboy, boyfriend e peças bem masculinas, não há mais uma definição no mundo da moda: tudo é permitido, uma vez que as tendências sejam neutras.

Mas será que essa neutralidade toda é saudável? Ainda não tenho uma opinião formada sobre isso, não sei se o feminino e masculino deveriam fundir-se tanto assim quanto as propostas fashionistas.

E vocês, o que acham dessa neutralidade?
Gostou do post? Compartilhe:
Facebook