Já falei para vocês que estou fazendo pós-graduação em Estética e Gestão de Moda na USP né?! Às vezes penso se vocês não gostariam de ver mais conteúdo “cabeça” aqui no FF como quando fiz um post sobre Moda&Medo, também com reflexões sobre look do dia e muito mais conteúdo que vejo todas as semanas na pós, por isso surgiu mais esse post. Tenho aprendido muita coisa nova, principalmente  a ter um novo olhar para a moda, beleza e todo tipo de arte!

A moda, principalmente, tem um valor narcísico, autoafirmativo e diferenciador – eis que surge o valor do Olhar como ponto de discussão. Até porque o valor da moda é fabricado no olhar do Outro, ou seja, se tal objeto ou tendência (para falar um pouco a nossa língua) não tem valor para o Outro, para a sociedade, então essa moda deixa de ser importante – isso explica muito quando uma tendência não pega ou porque elas são tão voláteis, há sempre algo se reinventando e ganhando valor para a sociedade.

Olhar na Moda 2

O processo de quando vemos nos apaixonamos por uma bolsa linda na vitrine até o momento de compra é, basicamente, como esse esquema que da foto acima! Somos diariamente preenchidos por novos desejos que atraem nosso olhar que quando preenchidos nos dão um prazer extremo (esse momento é chamado de Gozo na psicologia), mas logo  partimos em busca de um novo desejo. A moda se sustenta na efemeridade, na descoberta do novo por meio do Olhar na cada estação em peças que ganham novos sentidos (significados) e atravessam o olhar do sujeito faltante, afinal, sempre estamos em busca de alguma coisa, essa é a graça da vida.

Em uma entrevista de Costanza Pascolato feita por Regina Guerreiro para a Revista Trailer, notei um diálogo muito interessante sobre o Olhar:

Regina Guerreiro: (falando sobre a construção da imagem de Costanza Pascolato) Você se olhou no espelho…
Costanza Pascolato: …não, a gente não pode se olhar no espelho, porque periga a se identificar com a imagem refletida: você não é essa pessoa. Você é o que as outras pessoas enxergam. Trata-se de desapegar do próprio ego. É dificílimo…,uma espécie de musculação espiritual pesada.”

Ou seja, é exatamente o que contei para vocês nesse post adaptado à vida real, Costanza tem plena consciência de que ela é o que está no Olhar do Outro, que como uma pessoa pública por exemplo, ela tem uma imagem construída a qual ela é fiel há muitos anos. Acho que isso também cabe para nós, afinal, todos somos “públicos” independentemente do grau de exposição – o que é difícil contabilizar com tantas fotos nossas espalhadas por aí nas redes sociais, tantos eventos para ir e a vida no dia a dia já nos faz ter mais cuidado com o Olhar né! Enfim, só mais uma reflexão que vale  muito a pena ser feita!

Vocês já tinha pensado sobre o Olhar na Moda?

Fotos: Fashion Frisson
Gostou do post? Compartilhe:
Facebook